sexta-feira, 12 de outubro de 2012

Plano de Bairro do Distrito de Santana



Plano de Bairro do Distrito de Santana

A noite de 20 de setembro de 2012 vai ficar marcada na história do bairro de Santana. Reuniram-se no café CARMEL by-the-Sea representantes de atores sociais locais para começar o processo de elaboração de Plano de Bairro do Distrito de Santana.
Marcaram presença a Associação Portal de Santana (APSA), a Distrital Norte da Associação Comercial de São Paulo, o Colégio Marillac, o SENAC Santana, a Associação de Moradores de Santana e Vila Bianca, a SEMEAR, a Rede Social Zona Norte (RSZN), a Arquitetura Gilberto Cordeiro, a EMEFM Derville Allegretti, o Portal ZN na Linha, além de moradores e comerciantes locais.
Também estiveram presentes os grandes agentes estimuladores para que cada um dos distritos paulistanos desenvolvam seus Planos de Bairro: a FECOMERCIO – através do seu presidente do Conselho de Mobilização e Integração Comunitária, Jorge Carlos Duarte, e a equipe do vereador e Presidente da Câmara Municipal de São Paulo - José Police Neto, que trouxe a valiosa colaboração da arquiteta e urbanista Elisabeth Carvalho de Oliveira Salgado.
Jorge Ifraim deu início apresentando o histórico que resultou neste momento, passando pela realização do Seminário “Agenda 21 e Sustentabilidade da Macro-Norte” em 26 de fevereiro de 2006 na UniSant’Anna – que contou com 300 participantes, as reuniões de Agenda 21 de Santana, a organização do Conselho Regional de Meio Ambiente, Desenvolvimento Sustentável e Cultura da Paz da Subprefeitura de Santana-Tucuruvi em 2009, a Rede Social Zona Norte em 2010 e o início da atuação da Associação Portal de Santana em fevereiro de 2011, que protagonizou desta mobilização.
Falou que o bairro está em uma localização estratégica, na confluência do eixo Norte-Sul com a Marginal do Tietê (que pode ser considerada  eixo Leste-Oeste). E ressaltou os importantes atores presentes nesta área, como Parque Anhembi, Expo Center Norte, Rodoviária Tietê, Campo de Marte, Sambódromo, Parque da Juventude, Biblioteca de São Paulo, DEIC, complexo Center Norte, Centro de Zoonoses, UniSant’Anna, UNIBAN, Holiday Inn (maior hotel do país), duas ETECs, quatro estações do Metro, etc. Também está prevista a implantação da única estação metropolitana do futuro Trem de Alta Velocidade, que fará a ligação com Campinas e o Rio de Janeiro.
Afirmou que a área pode ser considerada a principal “porta de entrada” da Zona Norte paulistana. E mostrou os diversos bairros que compõem o distrito e localizou
suas fronteiras.
Ressaltou o sentimento de “pertencimento” do seu povo ao lugar, que teve origem na característica rural no início do século passado.
Como propostas iniciais foram colocadas:
  1. Extensão das calçadas com floreiras na Rua Voluntários da Pátria até a Marginal Tietê.
  2. Mudança do nome do bairro do Carandiru para “Parque da Juventude” ou “Bairro da Juventude”
  3. Plantio de árvores nas calçadas da sua parte de baixo
  4. Solução dos problemas com moradores de rua, drogados, prostitutas, travestis e ladrões.
  5. Ampliar a “Operação Delegada” da PM até a Marginal do Tietê
  6. Definir uma ocupação mais qualificada para a região na revisão do Plano Diretor Regional
  7. Identificar políticos que se interessem pelas questões da região e estabelecer um canal de comunicação com os administradores públicos das diversas instâncias.
  8.  Transformar o “pedaço” num ECO-BAIRRO (coleta seletiva, educação ambiental, A21, etc.).
  9.  Um “corredor verde” no canteiro central da Av. Cruzeiro do Sul, em baixo do Metro, entre as estações Tietê e Santana, com pista para caminhada, ciclovia, flores, áreas verdes, equipamentos de ginástica, iluminação adequada que valorize os Grafites, etc. (semelhante ao que foi feito na Av. Eng. Caetano Álvares e na Av. Brás Leme).
  10. No futuro, um “portal” físico.
Todas estas reivindicações foram protocoladas em um ofício ao subprefeito (TID 7859210) em 20 de julho de 2011, incluindo também a Praça na Rua Paineira do Campo - que já está se tornando realidade. Agora pretendem uma Base Fixa da GCM, flores, equipamentos de ginástica (inclusive para a 3ª. Idade), grafites nos muros, e quem sabe até uma ÁGORA para atos cívicos...

Na sequência, Jorge Silveira Duarte - Gestor da área de Desenvolvimento Social do SENAC e Presidente do Conselho de Mobilização Comunitária da FECOMÉRCIO - compartilhou a metodologia de desenvolvimento local que o SENAC desenvolve em algumas localidades, como o bairro da Bela Vista a cidade de Botucatu e de Limeira, etc.
Neste modelo, ressaltou a crença na importância da comunidade partir de uma visão de futuro. Ou seja, como quer estar, aonde quer chegar nos próximos 10 anos e então analisar o cenário local diagnosticando recursos, necessidades e vocação, para depois definir as prioridades que serão as ações e projetos que levarão ao futuro desejado.
E afirmou que uma possível contribuição do SENAC seria a capacitação da comunidade nessa metodologia – e que para isso precisa haver vontade da população, além de acreditar que é possível mudar e transformar o local para uma realidade melhor.
Também disse que o tema "Plano de Bairro", previsto tanto no Estatuto das Cidades como na Lei que criou o Plano Diretor, dever ganhar força em 2013, pois várias iniciativas estão surgindo na cidade. E que a FECOMÉRCIO definiu este como tema central do Conselho de Mobilização Comunitária para o próximo ano, gerando desta forma visibilidade a essas iniciativas na agenda de 2013 do mesmo.
A Prof.ª Elisabeth Carvalho de Oliveira Salgado, arquiteta e urbanista e autora dos livros Plano de Bairro: no limite do seu bairro uma experiência sem limites e Plano de Bairro – Perus em transformação, contou a sua experiência como consultora contratada pela subprefeitura de Perus para a formulação do plano de bairro do distrito.
 
Explicou que o mesmo transformou-se em um Projeto de Lei (331/2011), apresentado pelo vereador José Police Neto (atual presidente da Câmara Municipal de São Paulo), que está tramitando na casa.
Depois conversou com os presentes mais especificamente sobre o Plano de Bairro de Santana, semelhanças e diferenças das condições encontradas em Perus. E, ressaltando as lições aprendidas, recomendou alguns caminhos, modelos e cuidados para a execução deste Plano que estava se iniciando.
Seguiu-se um diálogo bastante rico entre os presentes – que consensuaram a necessidade de se criar um grupo multifacetado e representativo para que esta construção coletiva se desse de forma adequada, democrática e horizontal.
Jorge Ifraim se comprometeu a criar um grupo de emails na internet para que a comunicação deste grupo catalisador se estabelecesse de forma fluida e eficiente. A data e local da próxima reunião será consensuada através do mesmo.


sexta-feira, 1 de junho de 2012

Projeto "O Lixo não Existe - USINA DE BRINQUEDOS"

A ação "O Lixo Não Existe: USINA DE BRINQUEDOS" fechou o ciclo de 5 atividades do coletivo espanhol BASURAMA - neste caso em parceria com a Associação Portal de Santana

Entre os dias 24 e 27 de maio de 2012 praticamos a Reciclagem, desenvolvemos protagonismos, trabalhamos de forma colaborativa,  difundimos tecnologias em prol da Sustentabilidade e mostramos que não precisamos ficar esperando apenas das autoridades públicas a solução dos nossos problemas. 

Isto é Cidadania!!!
Este programa teve o apoio do "SP + Limpa" (Globo) - e é uma pré-atividade da Virada Sustentável 2012 de São Paulo. 

sábado, 5 de maio de 2012

A história da nossa Praça!

Visão e Ação mudando a realidade...
 

Em abril deste ano, a Associação Portal de Santana comemorou um "gol de placa": foram iniciadas as obras da praça no lugar da Rua Paineira do Campo em conjunto com um projeto de revitalização e requalificação urbana da região de Santana de Baixo.

A construção desse equipamento público será uma opção de qualidade de vida principalmente para crianças, adolescentes e idosos, sejam moradores, comerciantes, gente que trabalha ou simplesmente passa pelo local, que é a principal “porta de entrada” da nossa Zona Norte.
A antiga rua foi interditada para o tráfego de veículos há cerca de 2 anos e passou a receber descartes de entulho, veículos abandonados, estacionamento irregular de ônibus e caminhões e concentração de moradores de rua. Isto aumentou a insegurança local e trouxe riscos à saúde pública.
Obtivemos a resposta oficial do CET que este trecho não mais seria reaberto ao tráfego de veículos no sentido bairro-centro,  e surgiu então a idéia de transformarmos este trecho de rua em praça.
Articulamos os principais atores sociais do entorno – incluindo diretores de equipamentos públicos estratégicos como o Pronto Socorro Municipal de Santana e o Colégio Derville Alegretti, realizamos várias reuniões para buscarmos os consensos e protocolamos em 20 de julho do ano passado um ofício ao então subprefeito – o Sr. Sérgio Teixeira (TID 7859210).
Passamos a “levantar esta bandeira” em reuniões da RSZN e da sua SEE, CADESst, Termo de Compensação Ambiental das Marginais, vistorias do prefeito e subprefeito na região, e também na imprensa. Conseguimos matérias em veículos como Jornal da Tarde, Revista ZN, Portal ZN na Linha, e até entrevistas na Rádio Mundial.
Trouxemos o pessoal do Centro de Referência do Idoso – CRI Mandaqui - para conversar com nossos moradores da 3ª. Idade, e já estamos buscando conseguir a implantação de equipamentos de ginástica voltados a eles, tirando-os do sedentarismo e melhorando sua saúde, disposição e vontade de viver.

A permeabilização do solo contribui para diminuir o risco de enchentes, e o verde vai melhorar o ar que respiramos e embelezar a região. A iluminação e a Base Fixa da GCM trarão segurança. Equipamentos de ginástica e pista de cooper (incluindo para idosos) a saúde. Um coreto/anfiteatro ao ar livre - o os grafites que queremos nos muros (tendo como eixo temático a história de Santana), a cultura.

Estamos conseguindo “virar este jogo”, e o que era asfalto, sujeira e violência está se tornando um espaço para plantas, flores, lazer, saúde, cultura e convivência.
Hoje, como dizem os moradores da local, a Praça é nossa!

E isto é só o começo...

sábado, 14 de abril de 2012

A Praça é nossa!!!!


A Praça é nossa!!!!

Visão & Ação mudando uma realidade

Jorge Ifraim


A história da nossa Praça se confunde com a da Associação Portal de Santana (APSA) (http://portaldesantana.blogspot.com.br/).

E esta tem início por volta de 2008, quando representantes da comunidade da “Santana de Baixo” tiveram uma reunião com o vereador Eliseu Gabriel no espaço CARMEL by-the-Sea. O tema era a insegurança da região, tão esquecida pelos nossos administradores públicos.

Pedimos apoio para a implantação de uma base fixa da Polícia Militar, e ele nos explicou sobre a dificuldade para se consegui-la. O caminho, disse ele, era constituirmos uma Associação, catalisando forças.

Esta ideia ficou latente até o dia 16 de fevereiro de 2011, quando, durante uma reunião da Rede Social Zona Norte (http://redesocialzonanorte.blogspot.com.br/), pensei que seria o momento de implementá-la.

Nossa primeira reunião aconteceu dia 13 de junho de 2011, onde dialogamos sobre o diagnóstico da situação da área, consensuamos onde queríamos chegar e pensamos nos caminhos possíveis.

Sugeri o nome de “Portal de Santana” pelo fato de sermos a “porta de entrada” de grande parte das pessoas que se dirigem à Zona Norte paulistana. O objetivo da associação é promover a Qualidade de Vida e trazer o Desenvolvimento Local para a região, que apesar de estar no “centro logístico” da cidade e concentrar equipamentos estratégicos – tanto públicos como privados, sofre com problemas de segurança, trânsito, limpeza, enchentes, moradores de rua, poluição, etc.

Nas reuniões seguintes aprofundamos os temas.

A ideia da Praça surgiu no caminho de volta do evento de reinauguração do monumento do 14 Bis na Praça Campo de Bagatelle, ocorrida em 22 de junho de 2011. Na ocasião, o então subprefeito de Santana-Tucuruvi, Sérgio Teixeira, informou que recebera da CET a notícia que a Rua Paineiras do Campo não mais seria reaberta ao tráfego no sentido da Rua Voluntários da Pátria para a Praça (sentido Bairro-Centro).

Observando o estado de abandono, os descartes irregulares de entulho – e até de veículos, estacionamento irregular de ônibus e caminhões, aumento da violência, instalação de moradores de rua, etc. – imaginei o quanto uma praça no local melhoria a qualidade de vida de quem mora, estuda, trabalha, ou simplesmente passa pelo local.

Em nossa reunião seguinte (04 de julho), elegemos a ideia da praça como nossa “bandeira”.

Protocolamos no dia 20 de julho de 2011 um ofício ao subprefeito, que solicitava várias melhorias para a região do “Portal de Santana”, dentre elas a continuação do calçamento com floreiras feito pela subprefeitura e da “Operação Delegada” (reforço de policiamento da PM) - ambos hoje concentrados no trecho “privilegiado” da Rua Voluntários da Pátria - até o seu início, na Marginal do Tietê. Isto atrairia a atividade comercial para esta área, trazendo como consequência a requalificação urbana desejada.

Neste mesmo documento formalizamos também o pedido de implantação da praça na rua Paineiras do Campo.

Como conselheiro eleito do CADESst  (Conselho Regional de Meio Ambiente, Desenvolvimento Sustentável e Cultura da Paz da subprefeitura de Santana-Tucuruvi), solicitei a inclusão do assunto na Ata de Reunião de julho de 2011, constando inclusive o número de protocolo – TID 7859210.

No dia 01 de setembro nossa praça foi tema de uma matéria no Jornal da Tarde (pág. 3A), com foto do local e mapa.

 

Em 12 de novembro de 2011, durante a vistoria que o Prefeito Gilberto Kassab fez às obras permeabilização da área central da Av. Santos Dumont e Praça Heróis da FEB, questionei nosso atual subprefeito José Gianonni sobre o projeto da Praça na Rua Paineiras do Campo, e ele afirmou que o assunto já estava em etapa final de estudos.

Em 19 de janeiro de 2012, na audiência pública sobre o Termo de Compensação Ambiental relativo às obras na Marginal Tietê em nossa região, com a presença de representantes da DERSA, da Secretaria Municipal do Verde e Meio Ambiente (SVMA) e do subprefeito de Santana-Tucuruvi, voltei a defender o assunto,

No dia 02 de abril este sonho começou a se realizar.

E o que era um caótico estacionamento de ônibus e caminhões dos dias anteriores:

 

Está em vias de se tornar local de lazer, convivência, cultura e saúde e bem estar para a população:




Mas esta vitória é coletiva. E gostaria de fazer um agradecimento a alguns personagens especiais desta história:

·       José Gianonni, subprefeito de Santana-Tucuruvi, pela sensibilidade política e foco no desenvolvimento mais igualitário da região demonstrado nesta ação.

·       Eduardo Jorge, Secretário Municipal do Verde e Meio Ambiente, e Rute Cremonini, do Departamento de Políticas Públicas da SVMA, pela enorme legado em termos de fomento à Democracia Participativa e Representativa, Cidadania, Governança Pública e formação de Lideranças da Sociedade Civil que significa a implantação e bom funcionamento dos CADES Regionais.

·       Rede Social Zona Norte (e sua mediadora – Camila Chiarantanno do SENAC), berço da nossa associação (APSA), catalisadora de vários processos de melhoria na região, e que tem demonstrado que uma estrutura horizontal e cooperativa é um caminho saudável e eficiente para as mudanças que queremos.

·       Ao CADES Santana-Tucuruvi e a todos os seus conselheiros das gestões 2009-11 e 2012-13, que com a materialização desta praça talvez tenham alcançado seu resultado concreto mais significativo desde a sua implantação, em finais de 2009.

·       Eduardo Britto, do Portal ZN na Linha, jornalista e historiador, que desde o começo divulgou e incentivou nossos avanços (como na matéria sobre a permeabilização da área central da A, Santos Dumont e Praça Heróis da FEB  http://www.znnalinha.com.br/santana/html/heroi.php )

·       Léo Urbini, da Revista ZN, ambientalista e jornalista, que registrou nossa gênese em uma excelente matéria (http://www.revistazn.com.br/revista-online/116/ - Meio Ambiente - edição de julho/11 – pag. 28) e uma vídeo-reportagem (“Caminho pro Interior” - http://youtu.be/Ias64TuQL00 )

·       Fabiano Nunes, repórter do Jornal da Tarde, que fez uma matéria de destaque sobre a Praça num dos principais jornais de São Paulo.

·       Leila Navarro, palestrante de renome internacional, que se interessou pelo tema e nos entrevistou em duas edições do seu programa de rádio (http://www.podcast1.com.br/canais/canal934/15-05-Leila_Navarro_-_Jorge_e_Camila.mp3 )

·       Prof. Sibele Monice e seus alunos de Marketing do SENAC Santana, que desenvolveram voluntariamente nossa identidade visual.

·       Ricardo Timóteo e José de Oliveira, ex-conselheiros, e Sidnei Augusto, conselheiro - do CADESst, que abraçaram a causa desde o início

·       Eng. Félix Marques, da Coordenadoria de Obras da subprefeitura Santana-Tucuruvi, pela atenção e informações fornecidas.

·       Jayme Pereira, engenheiro civil, assessor na Coordenadoria de Saúde Norte, que contribuiu com sua experiência em obras e conhecimento do setor público.

·       Prof. Moacyr Sampaio Xavier, educador, pesquisador e consultor imobiliário, um visionário que nos ajudou a encontrar os caminhos.






E agradecer também a todos os membros da “Associação Portal de Santana”, dentre os quais destaco alguns:

·       Dr. Rafael Laurino Melillo, Diretor do Pronto Socorro Municipal Dr. Lauro Ribas Braga (P.S. Santana), pelo interesse e comprometimento pela causa.

·       Prof. Francisco Carqueijo, Diretor da EMEFM Derville Alegretti (antigo “Comercial”), que contribuiu com suas ideias e visão empreendedora.

·       Gilberto Cordeiro, arquiteto e urbanista, que com sua criatividade e abordagem humanística, materializou os consensos num pré-projeto.

·       Pedro Luiz da Silveira Filho, designer e consultor em Tecnologia, que agregou muito valor, tanto com suas opiniões como no tratamento de imagens e elaboração das apresentações.

·       Alexandre Borin, empresário, sócio da Prestus, que contribuiu com sua visão estratégica e conhecimento sobre as boas práticas do mercado.

·       Vera Agueda, incansável interface com autoridades e empresários da Zona Norte.

·       Dr. Octacílio Andrade Jr., Delegado e professor da Academia de Policia, que contribuiu com sua vivência em Segurança e Meio Ambiente

·       Eliseu Santoni, ex-coordenador da Agenda 21 na Zona Norte e entusiasta da afirmação do Poder Local.

·       Dra. Caroline Mastrorosa, advogada, que obteve a confirmação formal junto ao CET que a interdição a rua era definitiva.

·       Darcílio Alves Ribeiro, securitário, com seu interesse pela causa e cuidado com a vizinhança.

·       Dr. José Paulo de Castro, cirurgião-dentista, que atraiu muitos moradores para nossos encontros

·       Odette Ifraim, “jovem” a caminhos dos 86 anos, e uma das moradoras mais antigas da região, com quem aprendi os bons valores, bastante participativa em nossas reuniões e que contagiava a todos com a sua alegria de viver, bom senso e amor ao “nosso pedaço”. .

Como disse, esta é uma vitória de todos. Mas trata-se apenas do primeiro degrau. Temos agora que intensificar nossa mobilização, para que tenhamos realmente uma Praça (com “P” maiúsculo) - e não apenas uma área ajardinada...

E buscarmos atrair ainda mais atores sociais, como as incorporadoras que constroem empreendimentos de alto padrão em nossa região, antevendo uma valorização da área, para a qual o poder público ainda não dedicou a devida atenção.

E, de uma forma sinérgica, assegurarmos a implantação de:

·       equipamentos de ginástica para a “Terceira Idade”
·       barras fixas, pranchas para abdominais, barras para alongamentos, etc.   
·       jardins floridos e  árvores com placas identificadoras do seu nome popular, científico, habitat, características,   etc.  (para educação ambiental)
·       iluminação e segurança do local pela GCM
·       pista de Cooper (cerca de 500m – possível aproveitamento do calçamento existente).
·       coreto / anfiteatro para apresentações artísticas e culturais
·       “Grafittis” nos muros tendo como eixo temático a história de Santana (Pe. Landel de Moura, Ayrton Senna, os Andrada e Silva, Trenzinho da Cantareira, etc.)

E um ponto fundamental: a implantação de uma Base Fixa da Guarda Civil Metropolitana (GCM) nas proximidades da Rua Voluntários da Pátria (próximo das duas escolas municipais, do Pronto Socorro, Centro de Zoonoses, Coordenadoria de Saúde, Teatro Alfredo Mesquita, etc.) para garantir a segurança da área, hoje bastante crítica - evitando que se torne ponto de moradores de rua, de uso e tráfico de drogas e de assaltos.

Abaixo foto de reunião de representantes da Terceira Idade do Portal de Santana com os coordenadores do Centro de Referência do Idoso Norte (CRI Norte –Hospital do Mandaqui), que também estão na Rede Social Zona Norte.



Desta forma estaremos garantindo um espaço de lazer, cultura, bem viver e convivência.

Uma sugestão de nome para a nossa Praça é “Ayrton Senna da Silva”, afinal ele é um dos maiores heróis do Brasil, morou por muitos anos quando criança a cerca de 400 metros do local (Rua Aviador Gil Guilherme), e teve os primeiros contatos com o automobilismo na pista de kart da Praça Campo de Bagatelle.

Fizemos, junto com a Rede Social Zona Norte, a inscrição deste espaço para a “Virada Sustentável”, que acontecerá em 3 e 4 de junho, e ainda aguardamos a resposta dos organizadores. Caso se confirme, seria uma excelente oportunidade para a inauguração da praça...

A ideia agora é constituirmos um Grupo de Trabalho - “GT da Praça”, com representantes dos atores sociais do entorno (Pronto Socorro de Santana, escola Derville Alegretti, Coordenadoria de Saúde Norte, Teatro Alfredo Mesquita e Sociedade Civil – mais um arquiteto e talvez um paisagista), para que, de forma democrática e com foco no bem comum (e não em interesses localizados), cheguemos aos consensos e façamos a distribuição de tarefas e responsabilidades, para então conversarmos com Subprefeitura / CET / DERSA e conseguirmos a Praça que almejamos.

Fazendo tudo de uma forma dialogada e planejada, evitamos retrabalhos e desperdício de tempo, energia e dinheiro.

E que esta experiência em que a Sociedade Civil se organizou, atraindo a participação dos 3 setores, tomando a história em suas mãos e deixando de ser apenas figura passiva, trazendo qualidade de vida para os cidadãos, possa inspirar outras regiões e comunidades a fazerem o mesmo.

“Da Santana que amamos para a que merecemos”

sexta-feira, 8 de julho de 2011

Reunião de 04.07.11 - local: CARMEL by-the-Sea

A reunião começou às 19h15, com a validação do relato da reunião anterior, conforme postado no nosso blog. 



Passamos à proposta de pauta sugerida, com os tempos estimados para cada tópico – aprovada por consenso.


 
Como havia membros novos, Jorge fez uma rápida apresentação com os tópicos abordados na última reunião, para que todos estivessem alinhados em termos de informações.
Jorge então apresentou uma nova proposta: a implantação de uma praça na Rua Paineiras do Campo, na pista sentido Rua Voluntários da Pátria para a Praça Campo de Bagatelle, que, segundo informações que recebeu do subprefeito Sérgio Teixeira, não mais seria reaberta ao tráfego pela CET.








Esta proposta poderia até continuar pela Av. Santos Dumont (sentido centro-bairro), em frente ao Teatro Alfredo Mesquita,  Centro de Zoonoses (CCZ), passando pelos Drive-Ins (um já está desativado e outro está em processo), até a Av. General Leon Schneider (denominaremos “Praça B”).
Esta área encontra-se atualmente em estado crítico, pois conforme relatos dos funcionários da Coordenadoria de Saúde Norte, dispararam as ocorrências de assaltos e furtos. Também está se tornando um ponto viciado de descarte de entulho. E tem sido usada como estacionamento gratuito de ônibus, caminhões e carros.




Conforme Jorge, esta área hoje interrompida ao trânsito possui um comprimento de aproximadamente 320 m, com uma largura variável entre 14 e 18 m, o que totaliza cerca de 4.800 m2 . Isto sem contar a área da “Praça B” – bem maior e já gramada e arborizada – que poderia ser transformada em uma praça de verdade com custo bastante baixo.
A idéia é devolver o local ao cidadão, com a instalação de:
  • ·       equipamentos de ginástica para a “Terceira Idade”,
  • ·       barras fixas, pranchas para abdominais, barras para alongamentos, etc.
  • ·       jardins floridos,
  • ·       árvores com placas identificadoras do seu nome popular, científico, habitat, características,  etc (para educação ambiental)
  • ·       bancos (com braços ou formatos que dificultem serem utilizados como “camas”)
  • ·       iluminação
  • ·       pista de Cooper (cerca de 500m – possível aproveitamento do calçamento de cimento inter-travado já existente).
  • ·       um pequeno palco para apresentações culturais
E ressaltou que qualquer melhoria na área impactará na vida de mais de um milhão de pessoas, pois trata-se da porta de entrada de toda Zona Norte paulistana, onde estão as estações do Metro, Rodoviária Tietê, Parque Anhembi, Complexo Center Norte, etc.
Pedro Luis (Omnyportal) sugeriu que se decorasse o muro existente (da Oficina Municipal e da Coordenadoria da Saúde) com Grafitti – e enviou uma idéia de como poderia ficar:




Jorge acrescentou também que dois fatores podem nos ajudar a conseguir a viabilização da Praça:
  1. Projeto Florir – que objetiva criar uma impactante identidade paisagística na cidade, através da colocação de flores e plantas em praças e corredores viários (prioritariamente o Norte-Sul), e que segundo o subprefeito Sérgio Teixeira, já se encontra em implantação – com uma verba alocada de R$ 5 milhões.
  2. Termo de Compensação Ambiental da ampliação da Marginal Tietê – que destinou à nossa região cerca de 10.000 mudas de árvores – mais da metade desta quantia ainda não foi utilizada.

Informou também que o arquiteto Gilberto Cordeiro, membro da Portal de Santana, apesar de não poder estar presente por motivos profissionais, se comprometeu a elaborar um estudo e um croqui da nova Praça para aprofundarmos o tema em nossa próxima reunião e apresentarmos uma proposta mais concreta e elaborada  ao subprefeito.
Jorge então sugeriu que a Praça poderia se chamar “Paineiras do Campo” ou mesmo “Ayrton Senna da Silva”, em homenagem a um dos ídolos nacionais que morou a cerca de 500 m do local (na rua Aviador Gil Guilherme).


Também levantou a questão do muro utilizado no lado da rua  Voluntários da Pátria no terreno pertencente à empresa Telefonica. Rústico, feio e sem acabamento, desqualifica a área, além de se tornar local de descartes ilegais de lixo e entulho – e “banheiro” dos moradores de rua. Ressaltou que poderíamos procurar a área de Responsabilidade Sócio-Ambiental da empresa, uma vez que a continuação do fechamento com grades metálicas verdes (como já ocorre na lateral da Rua Gabriel Prestes) deixaria à mostra o gramado interno (que poderia ser enfeitado com flores e arbustos) – “integrando-se” à Praça que queremos, e valorizando tanto a região como o propriedade da empresa.




Dra. Samara Nascimento (sócia da SorriDente), apoiou as idéias, e disse que somente com o comprometimento  do pessoal da área conseguiremos nossos objetivos. Jorge aproveitou para ratificar que divulgar nossas causas e atrair mais atores sociais para nossas reuniões é tarefa de todos.


Ficou então decidido pelo grupo que o Projeto Praça seria a nossa “bandeira” neste momento– pois, além de ir de encontro com o nosso objetivo de melhorar a Qualidade de Vida da região, terá praticamente a unanimidade entre os atores sociais da área.
A questão dos moradores de rua, muito importante pois passa por vários dos nosso problemas (limpeza, segurança, mobilidade, etc.) – continuará a receber atenção especial de todos. Porém foi consenso que se trata de uma questão bastante complexa, por ter uma característica sistêmica, envolvendo toda a cidade - e exigir soluções multi-setoriais. Merece ser destacado o aspecto dos direitos humanos – que deve ser compreendido e respeitado. Será difícil chegarmos a soluções que agradem a todos.


No momento dos avisos gerais, o Dr. Octacílio Andrade Jr. (Delegado da 73ª. – Jaçanã), apresentou a ACAAPESP – Associação dos Consultores, Assessores e Articuladores Políticos do Estado de São Paulo, entidade da qual é Diretor do Departamento de Meio Ambiente. E sugeriu a aproximação das duas entidades (APSA e ACAAPESP) – pelas sinergias que podem desenvolver.
Também sugeriu que incluíssemos o tema das ciclovias, para interligar os Parques da região (por exemplo, Trote e Parque da Juventude) , o Center Norte, esta nova Praça, o complexo Anhembi/Sambódromo e a Av Brás Leme.


A Dra. Rita Camargo falou da importância da atuação dos Conselhos Tutelares na solução dos problemas da nossa região, e comunicou que será candidata ao Conselho Tutelar de Vila Maria / Vila Guilherme.
Fernando Santos (gerente da Yamaha / NorthWay) disse que costuma ter compromissos às segundas-feiras, mas buscará estar presente até pelo menos a primeira metade das reuniões.
Vera Agueda (Semear/Assoc. Mirante Jd. S. Paulo/RSZN) convidou a todos para os seguintes eventos: 
  • Encontro Pré-Conferência das Mulheres (Zona Norte)  08/07 14h Subprefeitura S/T
  • Festa Junina  Semear                     09/07   das 13h às 17h    Rua Pedro Cacunda, 547
  • Aniversário 73 anos Jd. S. Paulo   17/07   das 10h às 21h    Pça. Metro Jd. São Paulo
  • Arraial da Rede Soc. Zona Norte   30/07   das  12h às 19h   Parque da Juventude
 


Jorge então sugeriu que partíssemos para uma ação concreta: protocolar um documento na subprefeitura de Santana-Tucuruvi com nossas propostas (listadas na reunião anterior e ratificadas nesta), mais nossa nova "bandeira", a implantação da nova Praça. A proposta foi aprovada por unanimidade e será implementada o quanto antes.
Ficou decidido que nossa próxima reunião acontecerá dia 25 de julho (segunda-feira) às 19h. na CARMEL by-the-Sea.





sábado, 2 de julho de 2011

Reunião de 13 de junho de 2011 na CARMEL by-the-Sea


"da Santana que amamos para a que merecemos!”


A reunião teve início às 19h20, com Jorge Ifraim explicando que, com a criação do slogan acima para a Associação Portal de Santana, pretendeu sintetizar quem somos, onde estamos e o que queremos.

Falou em seguida seu histórico na busca da melhoria da qualidade de vida da região ("Baixo Santana"), desde a facilitação dos processos de Agenda 21 (2005 a 2008), a organização dos CADES (Conselho Regional de Meio Ambiente, Desenvolvimento Sustentável e Cultura da Paz) da Zona Norte (2008 e 2009), sua eleição e atuação como conselheiro do CADES Santana-Tucuruvi (2009-2011), e a participação como membro ativo da Rede Social Zona Norte (desde fevereiro/2011).

Jorge apresentou então aos representantes da imprensa e convidados a Associação Portal de Santana, da qual é fundador e articulador, e que nasceu na Rede Social Zona Norte em 16 de fevereiro de 2011. Seu objetivo é promover o desenvolvimento local da região, porta da entrada da Zona Norte e que se encontra tão degradada. Esta requalificação deve levar em conta os fatores sociais, ambientais, econômicos e culturais da área.

Também ressaltou a importância de realizar isto em uma estrutura de Rede, de forma horizontal, priorizando a construção de consensos e mobilização dos diversos atores sociais, sejam indivíduos, empresas ou equipamentos públicos.

Destacou os diferenciais do local, dentre eles a existência de famílias que aí residem há mais de meio século, e o sentimento de "pertencimento" que caracteriza seu povo.

Salientou sua localização estratégica, no cruzamento dos eixos Norte-Sul e Leste-Oeste da cidade, numa área muito central, situada a poucos quilômetros do marco-zero (Praça da Sá). Esta área abriga:
  1. O maior terminal rodoviário da América Latina (Tietê)
  2. Os dois maiores centros de exposição da cidade (Parque Anhembi e Expo Center Norte).
  3. O 6o. maior aeroporto do país (Campo de Marte), base da 2a. maior frota de helicópteros do mundo.
  4. Centro de Zoonoses (CCZ) - que é referência Nacional.
  5. 2 ETECs (uma delas a única dedicada às artes dentre as 198 existentes).
  6. Um dos melhores parques públicos da cidade (Parque da Juventude)
  7. 3 Universidades: UNIBAN (campus Marte e Maria Cândida), UNISANT'ANNA e PUC (campus Norte-  Marillac).
  8. 2 estações do METRO (Portuguesa-Tietê e Carandiru).
  9. Um dos mais importantes shopping Centers (Center Norte).
  10. 9o. Distrito Policial (considerado um dos melhores do mundo)
  11. Maior hotel do pais (Holliday Inn - 720 quartos)
  12. Corrida de fórmula Indy - circuito de rua
  13. Biblioteca de São Paulo (referência)
  14. Coordenadoria de Saúde de toda a Zona Norte
  15. DEIC
  16. Defesa Civil - sede metropolitana
  17. Arquivo Público do Estado
Mostrou um panorama resumido da história de Santana, povoação mais antiga da Zona Norte, E que Sant'Anna foi a padroeira da cidade até o ano de 2008, ocasião da vinda do papa Bento XVI, quando foi substituída por São Paulo. Citou que no "Solar dos Andradas" (atual quartel do CPOR), foi escrita a famosa carta do "Dia do Fico".

Foram citados nomes ilustres ligados à região, como Ayrton Senna, João Havelange, Éder Jofre e o padre Marcelo Rossi.

Também foram comentados os projetos que prevêem que o Campo de marte receberá a única estação metropolitana do "Trem de Alta Velocidade", que fará a ligação com as cidades de Campinas e Rio de Janeiro.

Ressaltou também a explosão imobiliária na área, que conta com 2 novos empreendimentos da Mitre, 1 da Even e mais outro ao lado da estação Carandiru - e que o preço do m2 já está na faixa dos R$ 8.000,00. E que a região tende a ser tornar uma "BELÍNDIA", com "pedaços de Bélgica cercado por Calcutá por todos os lados". Mais um motivo para agirmos.

Jorge apresentou então as propostas iniciais, que serão analisadas pelo grupo na próxima reunião:
  1. Extensão das calçadas com floreiras da Rua Voluntários da Pátria, que hoje chegam até a Rua Aviador Gil Guilherme / Rua Alfredo Guedes (altura do no. 1600) até a entrada do Metro Tietê (no. 600), e, numa segunda fase, até a Marginal do Tietê.
  2. Mudança do nome do bairro do Carandiru (ligado a tristes lembranças) para PARQUE DA JUVENTUDE (ou BAIRRO DA JUVENTUDE)
  3. Plantio de 120 árvores de pequeno e médio portes em locais já mapeados, com placas indicativas do nome popular, nome científico, características, áreas de ocorrência, etc. (projeto de Educação Ambiental).
  4. Solução dos problemas dos moradores de rua, drogados, prostitutas, travestis e meliantes da região. Uma das sugestões é mudar o ponto de distribuição da "Turma da Sopa".
  5. Resolver a questão das rodoviárias "paralelas" que operam na região.
  6. Fazer com que a "Operação Delegada" tenha sua operação ampliada até a Marginal Tietê (hoje só vai até a Av. Ataliba Leonel).
  7. Influenciar o Plano Diretor Regional para que o zoneamento regulamente uma utilização mais qualificada da região.
  8. Identificar políticos que se interessem pelas causas da região e estabelecer um canal de comunicação com os administradores públicos das diversas instâncias.
  9. Transformar "nosso pedaço" em um Eco-Bairro, com coleta seletiva, atividades de educação ambiental, incentivo a Agenda 21 e Agenda 21 Escolar, fomento à cidadania, etc.
  10. Quem sabe mesmo a construção de um PORTAL físico?
Foram apresentados como parceiros potenciais a Rede Nossa São Paulo, o Movimento Boa Praça, etc.

E mostrados a estrutura de comunicação interna e externa já desenvolvida:
Jorge então fez a pergunta: "QUEM MAIS QUER FAZER PARTE?". E orientou que estes deveriam marcar um "X" na coluna "Grupo de email" da lista de presença.

Syrius sugeriu que os esforços neste momento deveriam se  concentrar unicamente na solução da questão dos moradores de rua, evitando dispersar as ações. E que deveríamos nos esforçar para atrair mais comerciantes, pois só “o volume fará as coisas acontecerem”.

Oliveira também sugeriu a escolha de um assunto inicial, para não perder o foco.
Fernando disse que deveríamos partir para uma ação objetiva.  Pegar um ponto crítico e pôr um prazo.

Alexandre alertou que é preciso ter um método para trabalhar em rede. E ressaltou a importância de dedicar-se um tempo para crescermos como grupo, além de “corrermos atrás” de itens específicos.

Jorge ressaltou que a idéia não é buscarmos resolver apenas problemas pontuais, mas ir mais além, formando uma grupo que faça um diagnóstico das demandas da região, de maneira geo-referenciada e com uma abordagem sistêmica, consensue as prioridades de maneira democrática, analise as alternativas de soluções, e então procure exercer influência nas autoridades constituídas tanto do poder Executivo como do Legislativo para que as melhorias sejam implementadas na região.

Foi consensuado que o assunto “moradores de rua” deveria ser prioritário, até por estar relacionado com vários eixos (assistência social, saúde, segurança, limpeza pública, etc.). porém que outros temas também necessitariam de atenção, inclusive o conhecimento mútuo dos participantes, e a estruturação e maturação do grupo. E que deveríamos sempre nos orientar pelo princípio de "Pensar global e Agir local" (ECO 92 - Rio de Janeiro).

Foi sugerido que procurássemos conhecer melhor o modelo adotado pelo movimento "Viva o Centro", com a "Ação Local" (http://www.vivaocentro.org.br/acaolocal/index.htm) e seu esquema de "zeladoria" por quadra/rua/praça,

A D. Odette disse que pensava que, se cada morador e lojista procurasse cuidar e embelezar seu imóvel e calçada, automaticamente a região melhoraria, e os problemas com sujeira e moradores de rua diminuiriam.

Jorge sugeriu a utilização de uma metodologia denominada "
Questionário para a Elaboração da Agenda 21 das Comunidades", que busca o diagnóstico da região, através do levantamento geo-referenciado de demandas, concentradas em 7 eixos temáticos:
  1. ESPAÇO E CONDIÇÕES DE MORADIA
  2. TRATAR BEM DA SAÚDE
  3. SISTEMA VIÁRIO E TRANSPORTES
  4. EMPREGO E ALTERNATIVAS DE TRABALHO
  5. O ESPAÇO E A VEZ DO LAZER
  6. MEMÓRIA E CULTURA EM FUNÇÃO DE UM FUTURO MELHOR
  7. Educação e educação ambiental
As demandas passariam depois por um processo de análise do grupo e priorização. Um dos autores do trabalho, William Gerab, estava presente e se prontificou a capacitar os membros de forma voluntária caso desejássemos.

Jorge lembrou a todos a legislação vigente, que obriga a quem possui coleta de lixo noturna (nosso caso) a somente colocar seu lixo na rua após as 18h. E que isso é uma questão de cidadania. Também informou sobre os Eco-Pontos, que recebem até 1000 l de entulho/dia/imóvel, e a operação cata-bagulho, e distribuiu folheto sobre o assunto editado pela subprefeitura local.

Ficou decidido que nossa próxima reunião acontecerá no dia 04.07.2011 às 19h, no mesmo local (CARMEL by-the-Sea Rua Voluntários da Pátria, 972 - tel. 2221-2800). E que continuaremos trocando idéias através do grupo eletrônico (portaldesantana@yahoogrupos.com.br).

E que a tarefa de divulgar e mobilizar novos participantes, seja do setor público, privado ou da sociedade civil, seria de todos.

Fotos do evento: